Páginas

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Venerável MADRE MARIA TERESA SPINELLI, Religiosa e Fundadora



Olhai justamente com profunda admiração para esta mulher extraordinária. Tendo nascido em Roma em 1789, e entregando-se à vida religiosa em 1827, ela soube tornar-se humilde e generosa imitadora de Santa Rita de Cássia. Tenho a certeza de que a nova visita que realizastes neste ano, das fontes da sua espiritualidade e da sua obra suscitará em cada uma de vós, suas filhas espirituais, uma profunda consciência do valor e da atualidade do seu método apostólico. Desta forma, podereis oferecer um significativo contributo ao empenho da nova evangelização, que diz respeito a toda a Comunidade eclesial.”

Papa João Paulo II, à congregação das Agostinianas Servas de Jesus e Maria, por ocasião do 150º aniversário da morte da Madre Maria Teresa Spinelli.




Maria Teresa Spinelli nasceu no centro de Roma, no primeiro dia de outubro de 1789. Ela era a caçula de uma família de nove filhos, dos quais apenas quatro sobreviveram. Para sua educação e instrução, seus pais a confiaram às Mestras Pias Venerini. Na esteira da Revolução Francesa, Roma experimentou um revés econômico e como resultado a família Spinelli sofreu grande pobreza. Aos dezesseis anos, por obediência aos pais, casou-se com Luigi Ravieli, um homem violento com ideias revolucionárias.
Muitas vezes ela foi espancada e ameaçada por seu marido; Teresa conseguiu sofrer em silêncio e oferecer tudo para sua conversão. Mas os vizinhos fizeram uma denúncia, apresentando um relatório às autoridades e a jovem passou a viver separada de seu marido, tendo seu casamento anulado, por intervenção do Vicariato de Roma.
Teresa retornou para a casa dos pais dela, já mãe de uma menina chamada Maria Domenica. Sua situação financeira levou-a a trabalhar como um 'ama de leite' em casa de uma família nobre, passando a educar a filha do casal posteriormente. Algum tempo depois, ela voltou para casa para cuidar de seus pais idosos que estavam doentes, dedicando-se ao mesmo tempo à oração e às obras de caridade.
No primeiro dia de novembro de 1820 ela teve uma visão e recebeu o chamado para a Evangelização. Teresa quis abrir uma escola em Ferentino onde já era bem conhecida, mas, enquanto rezava, ouviu uma voz dizendo-lhe "não é em Ferentino que eu te quero, mas em Frosinone". Convidada pela Câmara Municipal, Maria Teresa abriu sua primeira escola para meninas em Frosinone em 1821. 


Nos primeiros anos, a comunidade permaneceu em Frosinone. O zelo de Teresa Spinelli deu origem á várias atividades: escola, pensão, ensinamento do catecismo, retiros espirituais, estudos de formação tanto para os grandes como para os jovens e moças. Teresa Spinelli acreditava que deste modo, ela e a sua comunidade davam um serviço muito importante à sociedade. De fato, eram muitos aqueles que procuravam o seu ensinamento e por muitos anos a escola que ela fundou era a única escola para meninas em Frosinone.
No 23 de setembro de 1827 fundou a Congregação das Irmãs Agostinianas Servas de Jesus e Maria, com o propósito específico da educação e formação cristã de jovens.
Alguns anos depois, começavam a formar as primeiras comunidades nas regiões de Roma e Frosinone. Ainda hoje, existe aquela de Guarcino, que iniciou em 1869 e aquela de 1877 de Genzano iniciada um ano depois. Em 1877, as irmãs foram convidadas pelo Papa Pio IX a abrir uma escola na capital, Roma. Foi ele mesmo que providenciou o local onde pudesse realizar este projeto.
Depois de uma vida dedicada ao serviço de Deus e seus irmãos, ela morreu em 22 de janeiro de 1850. Através de suas filhas, as irmãs agostinianas, a semente lançada por Teresa tem crescido ao longo dos anos em uma árvore enorme que espalhou suas raízes nos cinco continentes, para continuar a missão iniciada por esta mulher simples, cheia de coragem e do amor de Deus.

Servas de Jesus e de Maria




Para Madre Teresa Spinelli, tornando-se um com o Servo Sofredor Jesus Cristo, o único mediador entre Deus e o homem, significa entregar-se completamente para servir os outros. Ela viveu uma vida de serviço contínuo, a fim que toda pessoa vivesse dentro da Igreja. Seu amor por Cristo crucificado atingiu o ponto onde ela se ofereceu como vítima para a conversão dos pecadores.
Na sua carta de 31 de Maio de 1844, ela escreve “Eu ofereço a Deus do fundo do meu coração minha vida para as necessidades da Igreja e em expiação pelos pecadores”. Ela queria entrar no coração de Deus e viver a partir daí todo o drama do amor infinito de Deus para o homem; o amor de Cristo que chama ao serviço do próximo. Madre Teresa quis que sua vida se identificasse com o Cristo Crucificado para que sua Paixão fosse revivida na Igreja e para a Igreja. Ela reza: “Eu queria que Tu tivesses muita misericórdia para com todos os homens”.
A educação cultural, civil, moral e religiosa, especialmente de mulheres, para Madre Teresa foi um ato de grande caridade na sociedade de seu tempo. Ela acreditava que a educação era o meio mais seguro para permitir que uma pessoa alcance mais plenamente seu Criador. Ela sentiu que era a vontade de Deus que ela servisse seu próximo pela educação das crianças e jovens.
Maria, a humilde serva do Senhor, é o modelo da vida de contemplação e serviço a que as Irmãs Agostinianas Servas de Jesus e Maria são chamadas. É por isso que MadreTeresa Spinelli o escolheu como o “Patrona e Madre Superiora do Instituto”.
Tendo em sua Congregação a Espiritualidade agostiniana, abraçou o lema: “Cor unum et anima una in Deum” - “Um só coração e uma só alma orientados para Deus), que Santo Agostinho promoveu dezesseis séculos atrás, e o carisma específico de serviço, seguindo o exemplo de Jesus e de Maria, que estão resumidos no nome dado a Congregação.
Sua dedicação altruísta para o “Cristo necessitado”, nos pobres a alimentar, no ignorante a instruir, nos filhos a serem educados, nos doentes a curar, continua hoje, por meio de suas filhas espirituais, para ser um sinal de amor e esperança para homens e mulheres de várias partes do mundo: Itália, Malta, Inglaterra, Dem Rep do Congo, Estados Unidos, Brasil, Índia, Filipinas e Austrália, enfim, nos cinco Continentes!
Ela foi declarada Venerável pelo Papa Francisco em 11/10/2016.



Oração

Meu Senhor e meu Deus,
eu adoro e rendo muitas graças
pelos benefícios que destes a vossa
fiel serva Irmã Maria Teresa Spinelli
que seguindo o Seu Santo chamado,
passou a sua vida toda imersa
nos vossos sofrimentos.
Ela dedicou seu apostolado
como holocausto do amor pelos jovens
e pela salvação dos pecadores.
Eu, com muita confiança peço-vos
de demostrar a Vossa misericórdia,
concedendo-me, por sua intercessão,
a graça que ardentemente desejo...
Amém!

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai

Madre Maria Teresa Spinelli rogai por nós.


Fontes:







Imagens retiradas do Google imagens.




Nenhum comentário:

Postar um comentário