Páginas

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

SANTO ILDEFONSO DE TOLEDO, Arcebispo, grande defensor da Virgindade perpétua de Maria.



Às portas de Toledo, capital do reino dos Visigodos da Espanha, elevava-se no sétimo século, o mosteiro de Agali, um verdadeiro viveiro de santos e de doutores. Foi aí que se fez monge, apesar das violentas resistências da sua família, Ildefonso, que se destacou por uma profunda e vibrante devoção à Virgem Maria, sendo-Lhe muito dedicado, tendo escrito sobre Ela belas linhas de pura espiritualidade mariana.


Ildefonso, o mais ilustre dos discípulos de Santo Isidoro de Sevilha, o mais popular dos santos da Espanha, tinha nascido nesta mesma cidade de Toledo, no seio duma família — na qual corria o sangue real —, a 8 de Dezembro de 606, dia que depois foi consagrado à Imaculada Conceição da Virgem Maria, e foi pela intercessão de Maria, que Estevão, seu pai, e Lúcia, a sua mãe obtiveram do céu esta criança abençoada.
Recebeu, primeiramente em Sevilha, durante doze anos, as sublimes educação e formação de Santo Isidoro. Seguidamente tendo voltado ao lar, fez-se monge em Agali e aí terminou os seus estudos. A morte dos seus pais deixou-lhe a livre disposição dos seus bens, que ele consagrou à fundação de um mosteiro de religiosas.

Eugênio II, o arcebispo de Toledo, tendo falecido (657), a voz unânime do clero e do povo colocou Ildefonso sobre a sede metropolitana; e, então, fazendo o ofício de bom pastor, iluminou, como um sol místico, todas as igrejas da Espanha tanto pela sua ciência como pela sua virtude. Mas, o que lhe valeu o primeiro lugar no amor e na memória do povo espanhol, foi sobretudo a sua ardente devoção para com a Santíssima Virgem cuja virgindade defendeu contra o Helvídios. As visões miraculosas que confirmam o reconhecimento de Maria pelos esforços do seu zeloso defensor e as relíquias que deixou à igreja de Toledo, inflamaram durante muito tempo a devoção dos Espanhóis para com o seu grande Santo Ildefonso. Estas maravilhas insignes merecem ser conhecidas.

No dia da festa de Santa Leocádia, esta ilustre e famosa mártir saiu do seu túmulo junto do qual Ildefonso orava e descobriu-lhe o sítio onde se encontravam as suas relíquias, durante muito tempo esquecidas, que o santo arcebispo desejava ardentemente reencontrar. Seguidamente, tomando-o pela mão, disse-lhe perante toda a assistência: “Ildefonso, por ti foi defendida a minha Soberana que reina no alto dos céus”, querendo dizer-lhe que tinha defendido a honra de Maria contra os hereges. Para ter uma prova palpável desta visão, tomou a espada do rei que o acompanhava e cortou um retalho do véu da Santa, antes que o túmulo se fechasse: esta parcela de véu tornou-se uma relíquia muito venerada, conservada na igreja de Toledo.
Santo Ildefonso estabeleceu, ou, pelo menos celebrou e propagou com zelo a festa da Expectação do parto da Santíssima Virgem. Ora, antes de Matinas desse dia, Ildefonso levantava-se à habitual para ir cantar os louvores de Maria.

A notável aparição da Virgem Maria a Santo Ildefonso
Estava acompanhado dos seus clérigos e dum grande número de pessoas. Iam à frente luminosas tochas de cera. Chegados à porta, as pessoas que compunham o cortejo perceberam na igreja uma claridade que seus olhos não podiam suportar e fugiram. Ildefonso mandou abrir e avançou para o altar acompanhado pelo diácono e pelo subdiácono apenas. Prostrou-se e, nesse mesmo momento, apareceu-lhe a Virgem a Maria sentada sobre o a cadeira episcopal, cercada de um grupo de santas virgens que executavam sobre a terra cânticos do Paraíso. Maria fez sinal ao seu defensor para que se aproximasse, e fixando sobre ele o seu olhar disse-lhe: “Vós sois o meu capelão e o meu fiel notário, recebei esta casula que o meu Filho tirou dos seus tesouros”. Seguidamente, cobriu-o Ela mesma e ordenou-lhe de não se servir desta a não ser por ocasião das festas celebradas na sua honra. Esta aparição foi tão certa e real que um concílio de Toledo ordenou que para perpetuar a memória uma festa fosse celebrada todos os anos, sob o título de “Aparição da Santíssima Virgem e do seu Menino a santo Ildefonso”, e, coisa notável, esta mesma festa é solenizada no Egito pelos Coptas.

Estes favores com que Nosso Senhor e a sua Santa Mãe quiseram honrar o seu servo é um digno prelúdio à felicidade eterna da qual, no dia 23 de Janeiro do ano 669, ele iria gozar. Tinha então Ildefonso sessenta e três anos de idade e dez como bispo de Toledo.

Santo Ildefonso foi enterrado na igreja de Santa Leocádia e mais tarde, por causa dos mouros, o seu corpo foi transladado para Zamora nas Astúrias onde se celebra ainda esta translação de suas relíquias.

A casa onde Santo Ildefonso nasceu foi dada aos Padres Jesuítas, depois de ter pertencido aos condes de Orgas. Estes religiosos mandaram construir uma magnífica igreja no lugar que esta casa ocupava e reavivaram a memória do Santo que os toledanos tinham, pouco a pouco, esquecido.


FONTE : P. Giry : Les petits Bollandistes : vies des saints. T. I. Source http://gallica.bnf.fr/ Bibliothèque nationale de France. Tradução : Afonso Rocha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário