Páginas

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

SANTOS MÁRTIRES DE TURÓN, Espanha (Guerra Civil Espanhola).



A história do martírio de oito irmãos Lassalistas e um padre Passionista condenados à morte por fuzilamento pelo simples fato de serem religiosos católicos. 
O comunismo ateu, mais uma vez, mostrou suas garras diabólicas e assassinas, hoje em dia dissimuladas e disfarçadas em "ideologias humanistas", destruindo lentamente a moral e os bons costumes da sociedade, da família, da juventude e da infância. 
Roguemos a Deus, pela intercessão desses gloriosos Santos Mártires, que livre o Brasil e o mundo inteiro desta doutrina tão perigosa e que leva à perdição tantas almas. 


Biografia
Desde 1919, os Irmãos Lassalistas mantêm juntos e por associação a Escola Nossa Senhora de Cavadonga, na cidade de Turón, na Espanha. Em 1934, oito Irmãos relativamente jovens ali trabalhavam em situação difícil. A escola era gratuita e atendia os filhos dos operários das fábricas. No ano anterior, as leis republicanas proibiram o ensino católico e a catequese em todas as escolas. Com astúcia, os Irmãos continuavam a obra.

No início da vitória da revolução comunista, estava com a Comunidade o Padre Inocêncio da Imaculada, que viera atender as confissões dos alunos em preparação à primeira sexta-feira do mês. De manhã, os Irmãos se dirigiram para a capela conforme costume diário, e iniciou a Santa Missa. Pouco depois, muita gritaria e golpes no portão. O Irmão Marciano desceu e se enfrentou com uma turba de umas pessoas, armadas. Sem nenhuma autorização, invadiram o Colégio, entraram em todas as salas e quartos; reviraram tudo e arrebentaram os móveis. O Padre Inocêncio e os Irmãos da Comunidade receberam voz de prisão e foram levados, com brutalidade, para a prisão, para a "Casa do Povo", transformada provisoriamente em cadeia pública.

A Comunidade era formada por oito Irmãos: Cirilo Bertrán, 46 anos, diretor; Marciano José, 33 anos; Vitoriano Pio, 29 anos; Benjamin Julián, 26 anos; Julián Alfredo, 31 anos; Augusto Andrés, 24 anos, Benito de Jesus, 24 anos e Aniceto Adolfo, com apenas 22 anos. O Padre Inocêncio, que estava de passagem, estava com 47 anos de idade.

Ficaram quatro dias no cárcere e muitos outros religiosos e católicos se juntaram a eles. Testemunhas afirmaram que os irmãos lassalistas e o padre Inocêncio manifestaram grande paz, serenidade e conformidade com a vontade de Deus.

Após esses dias, o chefe da revolução resolveu dar uma lição ao povo e condenou os oito Irmãos e o Padre Inocêncio à morte. Ele mandou abrir, no cemitério local, uma vala de nove metros de comprimento.

No dia 9 de outubro de 1934, o próprio chefe e alguns companheiros foram à prisão, retiraram dela, ainda de madrugada, os oito Irmãos e o Padre Inocêncio, e os levaram para a execução, na encosta da colina, em frente à cidade. Todos foram enfileirados em frente à vala, com rosto voltado para a cidade. O pelotão atirou. Todos caíram. O chefe deu um tiro de pistola em cada um dos caídos. Mandou que fossem sepultados.


São João Paulo II os beatificou em 29 de abril de 1990 e foram canonizados em 1999. A festa é celebrada a 9 de outubro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário