Páginas

Encontre o (a) Santo (a), Beato (a), Venerável ou Servo (a) de Deus

domingo, 12 de junho de 2016

SANTA MARIA ISABEL HESSELBLAD, Virgem e Fundadora. Canonizada em 05 de junho de 2016.


Maria Isabel Hesselblad nasceu no dia 04 de junho de 1870, na cidade de Faglavik na Suécia. Era a quinta dos treze filhos do casal Augusto Roberto e Caisa, uma família luterana muito pobre. Desde a sua adolescência, ao ver que as suas companheiras frequentavam diversas Igrejas, perguntava-se qual seria o único rebanho a que se referia o Evangelho de São João.

Para ajudar a manter a sua família, aos 16 anos pôs-se a trabalhar como doméstica e, dois anos depois, emigrou para os Estados Unidos, onde passou a trabalhar como enfermeira num hospital de Nova Iorque. O contato com os doentes católicos e o grande desejo de encontrar a verdade contribuíram para manter viva na sua alma a busca do rebanho de Cristo.

A oração, o estudo e a devoção filial para com a Mãe do Redentor conduziram-na decididamente à Igreja Católica. Guiada por um douto jesuíta, estudou com paixão a doutrina católica e, com meditada opção, aceitou-a recebendo o Batismo "sob condição". A cerimônia do Batismo teve lugar no Convento da Visitação, em Washington, no dia 15 de Agosto de 1902. Dois anos mais tarde, deslocou-se para Roma, onde recebeu a Confirmação e compreendeu claramente que devia dedicar-se à unidade dos cristãos. Visitou também o templo e a casa de Santa Brígida da Suécia e, profundamente impressionada enquanto se encontrava em oração nesse lugar, sentiu que Deus lhe dizia: "É aqui que desejo que te ponhas ao meu serviço".

No dia 25 de Março de 1904 estabeleceu-se definitivamente em Roma e com uma especial permissão do Papa Pio X, vestiu o hábito brigidino na casa de Santa Brígida, então ocupada pelas Carmelitas. A 09 de Setembro de 1911, começando com três jovens postulantes inglesas, restabeleceu a Ordem do Santíssimo Salvador e de Santa Brígida, com a missão de orar e trabalhar de modo especial pela união dos cristãos na Escandinávia com a Igreja Católica.

Desde o início, infundiu nas suas filhas espirituais a inquietude ecumênica, o amor à Igreja e ao Romano Pontífice, e a necessidade de orar para que haja um único rebanho e um só Pastor, dizendo-lhes: "Esta é a finalidade principal da nossa vocação".


Viveu de modo sereno a vontade de Deus e assim se preparou para o encontro definitivo com o Esposo divino, que a chamou para junto de Si nas primeiras horas do dia 24 de Abril de 1957, após uma longa vida, marcada pelo sofrimento e pela doença. O Papa São João Paulo II a beatificou no ano 2000, em Roma. O Papa Francisco a canonizou, juntamente com Santo Estanislau de Jesus e Maria, no dia 05 de junho de 2016, também na Praça de São Pedro. 














Nenhum comentário:

Postar um comentário