Páginas

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Beato Felipe Sifhong, Leigo, catequista e pai de familia, e seus companheiros, protomártires tailandeses.




Os sete beatos mártires Tailandeses. 
O Cristianismo foi introduzido na Tailândia em 1881. A Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris era ativa naquele país, bem como outras Congregações missionárias ou caritativas. Em 1940, o país contava com um milhão de católicos reunidos em pequenas comunidades, além da presença de comunidades cristãs protestantes. A Tailândia era um país essencialmente budista, com algumas minorias hinduístas.
A partir de 1940, os missionários franceses tiveram que deixar o país por causa da II Guerra Mundial. O pluralismo religioso era então considerado uma ameaça à unidade nacional. O vilarejo de Songkhon às margens do rio Mekong, na fronteira com o Laos, foi o palco do martírio de sete moradores católicos daquela região: Philippe Siphong, as religiosas Agnes Fhila e Lúcia Khambang, e os leigos Ágata Fhutta, Cecília Butsi, Viviane Khamfhai e Maria Fhon.
Felipe Sifhong nasceu na província de Nakhon Fhanom em 30 de setembro de 1907, numa família católica, e foi batizado no mesmo dia do seu nascimento. Aluno da escola paroquial de Non Seng, Felipe tornou-se mais tarde professor primário, em 1926, no vilarejo de Songkhon. Ali ele se casou, cinco anos mais tarde, com Maria Thong, e tiveram cinco filhos. Além de professor, Felipe era também catequista e homem de confiança dos missionários, que lhe confiavam a administração do posto missionário quando precisavam se ausentar. Ele era o chefe da comunidade cristã local.
Em agosto de 1940, um grupo de policiais tailandeses chegou em barcos nesse vilarejo isolado, constatando que os habitantes daquele lugar professavam uma religião estrangeira. Em novembro, o Padre Figuet foi expulso do país. Os habitantes locais se confiaram à proteção do catequista Felipe Sifhong e das Irmãs Agnes Fhila e Lúcia Khambang, a fim de permanecerem firmes na Fé.
Em meados de dezembro, Felipe recebeu uma carta contendo uma mensagem falsa, escrita por policiais, ordenando-lhe que comparecesse à subprefeitura. Felipe pressentiu o perigo. No início da noite do dia 15 daquele mês, dois policiais levaram-no preso para que fosse interrogado. Felipe foi fuzilado naquela noite, depois de fazer o sinal da Cruz. A mesma sorte estava reservada às duas religiosas. O Cristianismo era, então, considerado uma das práticas anti-nacionais. As autoridades tailandesas tiveram o cuidado de esconder os túmulos dos mártires a fim de que as almas dos falecidos não viessem “atormentar os vivos”. Em 1959, seus restos mortais foram solenemente enterrados em Songkhon.

       Os sete tailandeses foram beatificados em 1989 pelo Papa João Paulo II. São celebrados no dia 26 de dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário