Páginas

domingo, 3 de janeiro de 2016

SÃO JOÃO PAULO II: 21 FATOS INTERESSANTES SOBRE ESTE SANTO PAPA.


1. Nos tempos de teatro, ele literalmente salvava o show com sua memória fenomenal.

Nós todos sabemos que João Paulo II tinha paixão pelo teatro e pela literatura, desde a adolescência. Mas o que não sabíamos, era que ele salvou o show uma vez com sua memória incrível.

Um dos membros do elenco abandonou a produção dois dias antes da noite de estreia. E eles não tinham substituto.

Mas, sem estresse. A mente de esponja do jovem Karol havia absorvido cada linha da fala de todos os personagens nos ensaios, e ele se ofereceu para assumir um papel extra. O show deve continuar!

2. Em suas viagens de acampamento com o grupo de jovens, ele lia, ao redor da fogueira, o livro “Cartas de Um Diabo a Seu Aprendiz”

Muitos de nós sabemos que o Papa Wojtyla amava passar o tempo ao ar livre com os jovens, enquanto ele era pároco na Polônia e mais tarde como cardeal. Esses passeios tinham de ser feitos às escondidas, uma vez que eram proibidos pelos comunistas. Eles praticavam caiaque, canoagem, caminhada, e às vezes celebrava-se a missa em uma canoa virada.

E, ao redor da fogueira à noite, eles cantavam músicas de louvor e adoração e liam livros, incluindo clássicos de C. S. Lewis como “Cartas de Um Diabo a Seu Aprendiz” (que foi publicado em 1942).


  


3. Os comunistas, ironicamente, queriam que ele se tornasse arcebispo de Cracóvia

Embora o governo comunista permitisse que a Igreja da Polônia nomeasse seus próprios candidatos a bispo para ocupar uma vaga em aberto, mantiveram o direito de rejeitar qualquer candidato de que não gostassem.

Eles vetaram uma série de nomes para arcebispo de Cracóvia, até que sobreveio o candidato preferido: Karol Wojtyla.

Naquele momento, sem saber, os comunistas selecionaram aquele que mais tarde se tornaria Papa e voltaria à Polônia para derrubar o comunismo. Subestimaram o escolhido. Provavelmente, esta foi a pior subestimação da história.


4. Ele teve que limpar latrinas com cocô congelado

João Paulo II nunca teve repulsa de trabalho sujo, ou de se debruçar para fazer a mais humilhante das tarefas.

Logo após a mudança de poder na Polônia (dos nazistas para os comunistas), Karol e seus colegas seminaristas conseguiram regressar ao seminário, o qual tinha ficado em condições muito precárias. As tubulações tinham congelado, e as latrinas ficaram em estado de calamidade. Montes de excrementos congelados precisavam ser retirados com pás e levados dali.

Então, da próxima vez que você tiver uma tarefa repugnante para fazer, basta lembrar que João Paulo II também teve.



5. Ele continuou esquiando até os 73 anos de idade

Uma das minhas histórias favoritas é a do menino de oito anos que conheceu João Paulo II nas pistas de esqui. Eles formaram uma dupla, esquiaram juntos um bom tempo. A mãe do menino não acreditou que seu filho realmente tinha esquiado com o Papa, até que ele mesmo se apresentou a ela.


6. Ele viajou para a lua três vezes durante a vida

Ao menos, a mesma distância: 1.207.008 km!

Ele tinha uma missão, e sentiu que seu chamado como pastor da Igreja universal significava que era realmente necessário conhecer o seu rebanho.

"Por acaso eu não sou Papa de todo o mundo?", disse.


7. Qual foi o "dia mais feliz de sua vida"?

Segundo ele mesmo, foi o dia em que canonizou Irmã Faustina como a primeira santa do novo milênio.

A devoção à Divina Misericórdia foi um dos temas centrais de sua vida, algo muito próximo e querido ao seu coração, especialmente por ser polonês.

"Não há nada que o homem precise mais do que a Misericórdia Divina"

8. Ele escreveu um poema profundo em memória de um colega morto

Durante a invasão nazista, quando Karol teve que trabalhar em uma pedreira, submetido a temperaturas abaixo de zero, e ainda, andar por um trajeto de 30 minutos no começo de cada madrugada, ele testemunhou a morte de um colega de trabalho numa explosão de dinamite. Mais tarde, escreveu este poema:

“Eles o deitaram, as costas sobre folhas e cascalhos.
A esposa veio, angustiada de preocupação; seu filho voltava da escola...
As pedras de novo em movimento: um vagão machucava as flores.
Novamente a corrente elétrica corria intensa por dentro das paredes.
Mas o homem levou consigo a estrutura interna do mundo,
Quanto maior a raiva, maior a explosão de amor”.


9. Ele teve que bancar o James Bond umas duas vezes para fugir da polícia secreta

Quando era bispo na Polônia, durante o governo comunista, a polícia secreta constantemente tentava estudá-lo (no momento em que se tornou Papa, haviam acumulado 18 caixas de relatórios sobre ele).

Uma vez, quando o arcebispo precisava ter uma reunião secreta com Karol, o motorista dele teve que fazer um emaranhado de caminhos tortuosos para evitar que seu perseguidor o alcançasse; Karol trocou de carro várias vezes sem que eles percebessem, e assim, foi capaz de se reunir com o arcebispo em paz.

O governo também havia grampeado a residência dos bispos com dispositivos de escuta, os quais Karol sabia da existência. Quando precisava falar algo importante, saía da residência. E falava muito alto quando queria que eles ouvissem alguma coisa. Deixava reservada as conversas privadas, para suas excursões secretas.


10. Os royalties de um de seus livros ajudaram a construir igrejas na Iugoslávia

O Papa João Paulo II ao longo de toda a sua vida foi um doador. Ele fez de si mesmo um dom, e dava de presente seu tempo e talento.

Por exemplo, após a publicação de "Cruzando o Limiar da Esperança" - que vendeu milhões pelo mundo - ele usou os primeiros pagamentos de royalties para reconstruir igrejas que haviam sido destruídas no conflito da Iugoslávia.
Também era conhecido por doar as roupas novas compradas para ele, e continuar usando as antigas.

11. Recebeu o sacramento da Reconciliação de Padre Pio

Em 1947, o Padre Wojtyla visitou o Padre Pio, que ouviu sua confissão.

O Papa João Paulo II canonizou-o 55 anos depois.


12. Seu predecessor, o Papa João Paulo I disse isso...

"Meu nome é João Paulo o primeiro. Eu estarei aqui apenas por um curto período de tempo. O segundo está chegando".



13. Ele era o rei da multitarefa

João Paulo II tinha uma energia para o trabalho incrível, e foi descrito por um de seus secretários como um "vulcão de energia." Não era incomum para ele trabalhar 12-16 horas por dia.

Tinha o dom da "concentração dividida", e muitas pessoas relatavam que ele conseguia ter uma conversa atenta com alguém enquanto lia – sem deixar de prestar atenção no que a pessoa dizia. Ele às vezes se cansava nas reuniões se ele não estivesse trabalhando em outra coisa ao mesmo tempo. De fato, durante o Concílio Vaticano II, ele lia e escrevia todo o tipo de livro e poesia.


14. Ele leu Marx no Conclave que o elegeu

Era tão intenso o seu desejo de estar constantemente ligado em várias coisas, constantemente alimentando seu intelecto, que ele mesmo trouxe material de leitura para o Conclave pouco antes da sua própria eleição. E de todos os livros que tinha... estava lendo literatura marxista.

Como disse a seu amigo, "se você quer entender o inimigo, você tem que saber o que escreveu".

15. Um público de 300 mil pessoas não parou de o aplaudir por 14 minutos

Durante sua viagem à Polônia como Papa, em junho de 1979, que foi um divisor de águas, João Paulo II celebrava a Missa de Pentecostes na Praça da Vitória para uma multidão de 300.000 pessoas. Em um ponto, os aplausos ruidosos continuaram por 14 minutos sem parar.

Pare para pensar nisso.

Um povo, uma cultura, reprimida por um comunismo que negou sua dignidade humana como pessoas. E agora um deles, um menino polonês de Wadowice, volta, como Papa, a sua terra natal, com uma mensagem de liberdade e esperança.

"Envie o Teu Espírito! Envie o Teu Espírito! E renova a face da terra! Da sua terra!"

16. Se juntar tudo o que ele escreveu, seria o equivalente a 20 Bíblias

Ele obteve a média de mais de 3.000 páginas escritas por ano apenas durante o seu pontificado.


17. Ele foi o primeiro Papa a pisar em uma mesquita

Seu amor pela pessoa humana estendeu-se muito além dos confins da Igreja Católica, a todas as religiões, todas as raças, todas as línguas.


18. Os guardas-suíços tiveram muito trabalho com ele

Imagine isso: uma figura preto-encapuçada, camuflada, esgueirando-se pela porta de trás do Vaticano.

JPII foi um desses líderes que gostavam de se esgueirar portão afora sem serem notados pelos seus próprios guardas de segurança. Muitas vezes, essas excursões eram um pouco de recreação nas montanhas ou passeios de esqui. Mesmo sendo um homem tão ocupado, também entendeu a necessidade do equilíbrio e diversão.

19. Ele gostava de um pouco de humor auto-depreciativo

Em uma ocasião, numa conversa falou algo assim:

JPII: "A música é extremamente útil para a oração. Como Santo Agostinho disse: "Quem canta, reza duas vezes".

Amigo: "E o senhor é um bom cantor, Santo Padre?"

JPII: "Quando eu cantava, era mais ou menos como se eu estivesse rezando apenas uma vez...".

20. Ele conhecia todos os mais de 2.000 bispos do mundo pelo nome.

Ele mantinha um mapa no qual marcava todas as dioceses do mundo, e sabia de cor o nome de cada bispo.

Sua memória não era restrita à liderança da Igreja. Guardas suíços, seminaristas, e conhecidos de ocasião que ele mal tinha visto, ficavam espantados com o número de detalhes de que se lembrava sobre eles anos mais tarde.


21. Ele foi visto por mais pessoas do que qualquer outro na história humana

Bem, pelo menos é o que se diz. Mas com uma audiência de meio bilhão de pessoas, será que vai aparecer outro concorrente?


Esses fatos foram retirados do livro “Saint John Paul the Great: His Five Loves”, do norte-americano Jason Evert, pelo também norte-americano Joe Houde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário