Páginas

domingo, 20 de dezembro de 2015

SÃO JOÃO NEPOMUCENO NEUMANN, Bispo e Missionário Redentorista. Primeiro santo dos EUA. Dois textos biográficos.





"John Neumann tinha a imagem de Cristo. Ele experimentou, em seu íntimo, a necessidade de proclamar a palavra e o exemplo da sabedoria e do poder de Deus, e para pregar o Cristo crucificado” dizia o Papa Paulo VI na canonização do santo.


PRIMEIRO TEXTO BIOGRÁFICO. 
Bispo de Filadélfia, Pensilvânia, EUA, nascido em Prachatitz na Boêmia a 28 de março de 1811, João Nepomuceno Neumann é filho de Felipe Neumann e Agnes Lebis, pais católicos fervorosos, que deram excelente educação aos cinco filhos, dos quais, três tornaram-se religiosos. 
Fez os primeiros estudos na escola de Budweis e entrou no seminário desta cidade em 1831.

Dois anos depois, ingressou na Universidade Charles Ferdinand em Praga, onde estudou teologia.

Esperava ser ordenado em 1835, quando o bispo decidiu que não haveria mais ordenações. É difícil para nós imaginá-lo agora, mas a Boêmia de então tinha padres demais. João escreveu para bispos de toda a Europa, mas a resposta era a mesma em toda parte: ninguém queria mais padres. João estava certo do seu chamado ao sacerdócio, mas todas as portas para seguir esta vocação pareciam fechar-se à sua frente.

Mas ele não desanimou. Aprendeu inglês trabalhando numa fábrica junto com operários de língua inglesa, depois escreveu a bispos da América do Norte. Finalmente, o bispo de Nova York consentiu em ordená-lo. Para seguir a vocação divina ao sacerdócio, João teria de deixar sua terra para sempre e viajar através do oceano para um país novo e primitivo.

Em Nova York, João era um dos 36 padres para 200.000 católicos. A sua paróquia no oeste de Nova York ia do Lago Ontário até Pensilvânia. Sua igreja não tinha torre nem piso, mas isto não importava, porque João passava a maior parte do tempo viajando de cidade em cidade, subindo montanhas para visitar os doentes, detendo-se em mansardas ou tavernas para ensinar e celebrando Missas sobre mesas de cozinha.

Por causa do isolamento da sua paróquia, João desejava uma comunidade e assim entrou para os Redentoristas, Congregação de padres e irmãos dedicados a ajudar os pobres e os mais abandonados.

Primeiro padre a entrar para a Congregação na América do Norte, fez os votos em Baltimore no dia 16 de Janeiro de 1842.

O seu conhecimento de seis línguas modernas tornou-o particularmente capacitado para trabalhar na sociedade cosmopolita americana do século XIX. Depois de trabalhar em Baltimore e em Pittsburgh, em 1847 foi nomeado Visitador ou Superior maior dos Redentoristas nos Estados Unidos. O Pe. Frederick von Held, Superior da Província belga, à qual pertenciam as casas americanas, disse dele: "É um grande homem, que combina a piedade com uma personalidade forte e prudente". Ele precisou dessas qualidades durante os dois anos que exerceu o cargo, pois a fundação americana estava passando por um penoso período de adaptação.

Quando ele passou o cargo para o Pe. Bernard Hafkenscheid, os Redentoristas dos Estados Unidos se preparavam para se tornar uma província autônoma, o que ocorreu em 1850.

Pe. Neumann foi nomeado bispo de Filadélfia e foi ordenado em Baltimore a 28 de março de 1852. A sua diocese era muita grande e passava por um período de desenvolvimento considerável.

Como bispo, foi o primeiro a organizar um sistema diocesano de escolas católicas. Fundador da educação católica na sua região, aumentou o número das escolas católicas na sua diocese de 2 para 100.

Fundou as irmãs da Ordem Terceira de São Francisco para ensinar nas escolas.

Entre as mais de oitenta igrejas construídas durante o seu episcopado, deve ser mencionada a catedral de São Pedro e São Paulo, que ele começou. São João Neumann era de pequena estatura, de saúde sempre fraca, mas no curto espaço da sua vida realizou muita coisa. Encontrou tempo até para uma considerável atividade literária, além dos seus deveres pastorais.

Escreveu numerosos artigos em revistas e jornais católicos e também publicou dois catecismos e em 1849 uma história bíblica para as escolas.

Continuou sua atividade até o fim. No dia 5 de Janeiro de 1860 (aos 48 anos) sofreu um colapso numa rua da sua cidade episcopal e morreu sem poder receber os últimos sacramentos.

Foi beatificado pelo Papa Paulo VI dia 13 de outubro de 1963 e canonizado pelo mesmo Papa dia 19 de junho de 1977.



**************

SEGUNDO TEXTO BIOGRÁFICO
Sexta-feira santa de março de 1811 nasce em Prachatice, Boêmia (atual República Tcheca) João Nepomuceno Neumann, sendo o terceiro filho dos seis do casal Felipe Neumann e Agnes Lebis. Seu batizado foi no mesmo dia, 28 de março, na Igreja de São James recebeu o nomeado protetor da Boêmia, São João Nepomuceno.

Fez os primeiros estudos na escola em Budweis e entrou no seminário da diocese de Budweis em 1831, após ter estudado Filosofia. Dois anos depois, ingressou na Universidade Charles Ferdinand em Praga, onde estudou teologia. Queria ser padre missionário e após ser ordenado iria para América. Esperava ser ordenado em 1835, quando o bispo decidiu que não haveria mais ordenações, por haver padres demais, e ordenações por um bom tempo não iria ter na diocese. João não desanima, escreve para bispos de toda a Europa, mas a resposta era a mesma em toda parte: ninguém queria mais padres. Motivo: havia muitos padres. João estava certo do seu chamado ao sacerdócio, mas todas as portas para seguir esta vocação pareciam fechar. Para seguir a vocação divina ao sacerdócio, João teria de deixar sua terra para sempre e viajar através do oceano para um país novo.

Durante os estudos em Praga aprendeu inglês com trabalhadores ingleses de uma fábrica. Escreve a bispos da América do Norte, sem antes receber uma confirmação por parte dos bispos parte para os EUA, rumo à cidade de Nova Iorque. Após quarenta dias chega à América, o bispo de Nova York tinha enviado uma carta do qual concederia seu pedido, mais Neumann não chegou a receber, pois havia partido para as Américas. Sendo ordenado em 25 de junho de 1836 na antiga Igreja de São Patrício, Nova York.

Em Nova York, João era um dos 36 padres para 200.000 católicos. A sua paróquia no oeste de Nova York ia do Lago Ontário até Pensilvânia. Sua igreja não tinha torre nem piso, mas isto não importava, porque João passava a maior parte do tempo viajando de cidade em cidade, subindo montanhas para visitar os doentes, detendo-se em mansardas ou tavernas para ensinar e celebrando Missas sobre mesas de cozinha. Por causa do isolamento da sua paróquia, João desejava uma comunidade e assim entrou para os Redentoristas, Congregação de padres e irmãos dedicados a ajudar os pobres e os mais abandonados.

Primeiro padre a entrar para a Congregação na América do Norte, fez os votos em Baltimore no dia 16 de Janeiro de 1842. O seu conhecimento de seis línguas modernas tornou-o particularmente capacitado para trabalhar na sociedade cosmopolita americana do século XIX.   Depois de trabalhar em Baltimore e em Pittsburgh, em 1847 foi nomeado Visitador ou Superior maior dos Redentoristas nos Estados Unidos.

Quando ele passou o cargo para o Pe. Bernard Hafkenscheid, os Redentoristas dos Estados Unidos se preparavam para se tornar uma província autônoma, o que ocorreu em 1850. Pe. Neumann foi nomeado bispo de Filadélfia e foi ordenado em Baltimore a 28 de março de 1852. A sua diocese era muita grande e passava por um período de desenvolvimento considerável Como bispo, foi o primeiro a organizar um sistema diocesano de escolas católicas. Fundador da educação católica na sua região, aumentou o número das escolas católicas na sua diocese de 2 para 100. Entre as mais de oitenta igrejas construídas durante o seu episcopado, deve ser mencionada a catedral de São Pedro e São Paulo, que ele começou.

A convite do Santo Padre Pio IX, embarcou em outubro para Europa. Era isso o ano de 1854. Queria ele assistir á solene declaração do dogma da Imaculada Conceição, ato que teve lugar a oito de dezembro do mesmo ano. Em Roma hospedou-se o Prelado na casa dos seus confrades, em Monterone. Todos edificaram-se com seu espírito de pobreza e humildade. Saía quase sempre sem as insígnias de sua dignidade, a pé sem fazer caso do tempo que reinava.


Sua extrema modéstia não impediu que sobre ele caíssem as vistas dos cardeais e do Papa. Pio IX convidou-o diversas vezes para audiências privadas e distinguiu-o ainda com mais outras atenções. A primeira vez que foi falar ao Papa este recebeu-o cheio de amabilidade e disse-lhe: “Monsenhor Neumann, bispo de Filadélfia! Então a obediência não vale mais que sacrifícios?” Escutou em seguida a relação que Neumann lhe fez sobre a diocese, decidiu diversos casos difíceis e por fim conferiu-lhe a dignidade de prelado domestico de Sua Santidade e diversas faculdades e privilégios.

Aos 17 de dezembro escrevia monsenhor Neumann a um de seus padres: “É impossível descrever-lhe a solenidade do dia oito deste mês. Não tenho nem tempo nem talento para tanto. Agradeço a Deus haver-me concedido, após tantas graças, esta de poder ser testemunha da festividade em Roma.”.

Nesta viagem, aproveita para convidar as Irmãs Dominicanas a irem ajudar em sua diocese para ministrar. Dom Neumann pediu aconselhamento ao Papa Pio IX, que o aconselhou que seria melhor fundar uma congregação na linha da regra franciscana. No ano seguinte, Do, Neumann investiu três jovens mulheres com o hábito franciscano e deu-lhes a Regra franciscana, e nova ordem se chama Irmãs Franciscanas de Filadélfia.

De volta á sede episcopal continuou os trabalhos com redobrado zelo. O peso da diocese já se lhe ia tornando cada vez mais sensível. Neumann queixa-se disso numa carta pelos fins de 1856: “Os trabalhos vão crescendo... Tudo isso me traz numa dobadoura desde sete da manhã até nove horas da noite. À noite estou cansadíssimo, mas, graças a Deus, a saúde é boa e resistente. Penso também não andar muito longe o dia de me ver livre deste desterro.” De fato ofereceu-se na reunião provincial dos Bispos em Baltimore para aceitar uma das novas dioceses então planejadas. A Santa Sé não aceitou a oferta de Neumann e deu-lhe um Bispo coadjutor na pessoa de D. Frederico Jayme Wood. Dois anos mais tarde já sucedia ao servo de Deus na sede do bispado.


Entretanto chegava também o fim da vida para o servo de Deus. Alguns dias antes de sua morte foi, como de costume, confessar-se no convento de seus confrades. Enquanto esperava pelo padre Reitor iniciou uma prosa com o irmão porteiro de qual a morte que o preferiria ter, o Irmão diz que preferia morrer depois de uma doença suportada com paciência; morte repentina é coisa arriscada, retorquiu o irmão. Dom Neumann retruca que um cristão deve, no entanto estar pronto para morrer a qualquer hora e muito mais ainda um religioso. Estando preparado, ganha mais com a morte rápida e poupa aos outros muito trabalho e a si mesmo muita ocasião de impaciência. Em todo caso é sempre melhor o gênero de morte que Deus enviar.

As previsões do santo Bispo deviam se cumprir. Aos 5 de janeiro, véspera dos Santos Reis, sentiu-se indisposto. De tarde saiu de casa para assinar um documento de certa propriedade da diocese. Ao voltar para casa caiu por terra numa das ruas da cidade, vitimado por um ataque de apoplexia. Levaram-no para a casa mais próxima estenderam-no sobre um tapete e tentaram reanimá-lo. Em vão. Quando chegou o secretario do bispado com os Santos Óleos, quase ao mesmo momento, já era tarde. João Nepomuceno Neumann, Bispo de Filadélfia estava morto. Foi sepultado na cripta da Igreja de São Pedro.

A 15 de dezembro de 1895 o Papa Leão XIII assinou o decreto pelo qual ordenava a introdução do processo de beatificação do Venerável Neumann. Um novo decreto de Santa Sé a 11 de dezembro de 1921 declara como heroicas as virtudes do Venerável. Foi beatificado pelo Papa Paulo VI em 13 de outubro de 1963 e canonizado pelo mesmo Papa em 19 de junho de 1977.

Vida mais detalhada do santo, vide em:  
https://biografiadossantos2.wordpress.com/2010/08/22/sao-joao-nepomuceno-neumann/


Nenhum comentário:

Postar um comentário