Páginas

sábado, 12 de dezembro de 2015

SÃO JOÃO DE BRÉBEUF, Presbítero e Mártir.


Missionário jesuíta nascido numa pequena aldeia Condé-sur-Vire na Normandia, em 25 de março de 1593; falecido no Canadá, perto Georgian Bay, em 16 de março de 1649. Entrou na Companhia de Jesus em 8 de novembro de 1617. Era um homem de grande estatura que tinha muita facilidade para aprender línguas o que favoreceu sua nomeação para as missões com os índios do Canadá.
Dedicou-se particularmente à evangelização da nação Huron, aprendendo a sua língua que ele ensinava aos missionários, pois não havia possibilidade de comunicação e de evangelização sem o conhecimento da língua nativa.  Viveu 15 anos com os Hurons morando nas suas famosas habitações chamadas de “wigwam”, feitas de troncos finos galhos e grama.
Enfrentou o frio, a fome e o constante perigo de ataques da parte dos Iroquêses, tribo cruel determinada a exterminar as missões dos Hurons e os missionários.   Até que em março de 1649, recusando-se de fugir para ficar com os Hurons da aldeia, foi capturado pelos Iroquêses e cruelmente torturado.  Amarrado a um tronco, derramaram sobre a sua cabeça água fervente esboçando o batismo; arrancaram-lhe as unhas, puseram-lhe ao redor do pescoço um colar de pedras em brasa, arrancaram-lhe o couro cabeludo, introduziram na sua garganta uma flecha em brasa e, como não soltava nenhum gemido, nenhum grito, nem queixa de nenhuma espécie, beberam seu sangue e comeram seu coração pensando assim adquirir a sua coragem.  Quando os Iroquêses se retiraram, amigos vieram recolher o que restou de seu corpo para leva-lo a Quebec.
Foi canonizado junto com os seus companheiros em 1930.  Ele é o padroeiro do Canadá, e, embora tinha sete companheiros: Isaac Jogues, Antônio Daniel, Carlos Garnier, Gabriel Lalemant, João de la Lande, Noël Chabanel e Renato Goupil, ele sempre foi o mais admirados de todos.


Em cima: João de Brébeuf
No centro: João de La lande e Renato Goupil
A esquerda em cima: Isaac Jogues
A esquerda em baixo: Noël Chabanel
Em baixo: Gabriel Lalemant
À direita em cima: Antônio Daniel
A direito em baixo: Charles Garnier

Nenhum comentário:

Postar um comentário