Páginas

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Beatos Luís Yakichi e Lúcia, Esposos, e seus filhos André e Francisco, Mártires no Japão.



Martirológio Romano: Em Nagasaki, Japão, beatos Luís Yakichi e Lúcia, esposos, e seus filhos André e Francisco, mártires, que enfrentaram a morte por Cristo: os rapazes e a mãe foram decapitados diante do pai e este foi queimado vivo.

O casal Luís e Lucia Yakisci e seus filhos, André e Francisco, pertenciam à diocese de Funai, e foram martirizados por sua fé no Japão, sua pátria.
Em 1622, os cristãos de Nagasaki planejaram libertar o missionário Luís Florès, detido nos cárceres de Firando. Para executar a árdua tarefa foi encarregado o próprio Luís Yakisci, homem bastante inteligente e astuto, que com uma pequena embarcação conseguiu iludir a vigilância dos guardas e libertar o Padre Florès. A fuga, porém foi descoberta em seguida e os guardas, dotados de meios mais velozes, conseguiram alcançar a precária embarcação de Yakisci e reconduziram ao cárcere os dois prisioneiros.
Luís foi submetido a vários interrogatórios por parte dos juízes, interessados em descobrir os nomes dos organizadores do complô. Foi submetido a suplícios contínuos que tornaram seu corpo irreconhecível, mas todas as torturas não abateram o seu ânimo. Jamais revelou nada, mesmo quando ameaçaram de morte também os seus mais íntimos familiares. Todos os quatro recusaram a liberdade em troca da renúncia à fé de Cristo e ao juiz não restou senão condenar ao martírio a heroica família.
Os dois filhos foram decapitados junto com a mãe diante do pai, e este foi queimado vivo lentamente. Isto aconteceu no dia 2 de outubro de 1622 em Nagasaki, cidade japonesa na qual haviam nascido. Os dois filhos nasceram respectivamente em 1615 e 1619, enquanto dos pais não se tem esse dado.
O Beato Pio IX beatificou esta família no dia 7 de maio de 1867, junto com um grupo de 205 mártires em terra japonesa, entre os quais outros 15 casais todos da mesma nacionalidade. Até hoje o Japão é a nação que deu à Igreja Universal o maior número de modelos de santidade vivida no estado conjugal.


 Fontes: Blog Heroínas da Cristandade (com a permissão da dona do blog). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário