Páginas

domingo, 27 de setembro de 2015

Venerável Serva de Deus Luísa Margarida Claret de la Touche, Virgem da Ordem da Visitação.


Madre Luísa Margarida Claret de la Touche, monja da Visitação, nasceu em Saint-Germain-en-Lay (França) no dia 15 de Março de 1868, numa família burguesa e abastada. Atraída pela vida contemplativa, entrou no mosteiro da Visitação de Romans, na diocese de Valence, a 20 de novembro de 1890.
Vivia numa profunda união com o Senhor e forte espiritualidade. No ano de 1902, o Senhor revelou a Irmã Luísa Margarida o que tinha a dizer aos sacerdotes e o que devia fazer para a santificação deles.
No dia 5 de junho desse ano, vésperas da festa do Sagrado Coração de Jesus, recebe uma missão particular para cumprir na Igreja: recordar aos sacerdotes as inexplicáveis riquezas do amor do Coração de Cristo, continuando a missão já iniciada com as revelações a Santa Margarida Maria Alacoque.
Nas várias revelações recebidas de Nosso Senhor em datas diferentes, a missão abrange a santificação dos sacerdotes, a união destes com os bispos e entre si, e a irradiação no mundo do amor do Coração de Jesus.
Em razão da certeza do grande amor que esse mesmo Coração tem por seus sacerdotes, e a confiança neles depositada, numa revelação Irmã Luísa Margarida intui: “Preciso deles para realizar a minha Obra!” Esta obra toma o nome de “Aliança Sacerdotal”.
Em sua vida, as mensagens começaram num momento em que a Igreja está abalada pelas teorias modernas, que em alguns casos conseguem demolir as próprias verdades da fé. Ela, na sua simplicidade, traz à Igreja uma evocação forte para ler a história como sinal do Amor divino e um convite específico aos sacerdotes para tornar visível o amor e a misericórdia de Deus pelo mundo.
A essência das revelações e das suas inspirações se encontra no livro “O Sagrado Coração e o Sacerdócio” , assim como em uma oração pelos sacerdotes, difundida desde 1905 e traduzida em 22 línguas.
Madre Luísa Margarida indicou caminhos e percursos ainda não abertos, e que desabrocham com o Concílio Vaticano II, em Presbytorum Ordinis, Pastores dabo vobis, ajudando os sacerdotes a crescerem na oração, na comunhão e na unidade.
Tantas páginas do diário de Madre Luísa Margarida podem ser lidas, hoje, como profecia de quanto amadureceu a Igreja com o Concílio.
Nos inícios do século XX, ainda na Ordem da Visitação, deu início, na Itália, em Vische-Turim, a partir de seus escritos e de sua ação apostólica, às Obras: Aliança Sacerdotal - 1913 (para sacerdotes), e um novo mosteiro contemplativo em 1914 como suporte exclusivo da Aliança Sacerdotal. Diante da resistência dos superiores da Visitação viu-se obrigada a deixar a Ordem para assegurar o bom êxito das suas atividades apostólicas.
Faleceu em 1915 após uma vida de forte espiritualidade, cumprindo a missão que recebeu do Senhor de propagar a fé e a devoção a Deus-Amor Infinito.
Em 1918 o Mosteiro contemplativo por ela fundado na Visitação tornou-se uma Congregação independente com o nome definitivo de Betânia do Sagrado Coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário