Páginas

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Beato Edmundo Bojanowski, Leigo e Fundador das Servas da Imaculada.


Edmundo Bojanowski (1814-1871). Leigo, fundador da Congregação religiosa feminina: as Servas da Bem-Aventurada Virgem Imaculada ou somente “Servas da Imaculada”. Nasceu numa família de nobreza rural, na região de Poznań que naquele tempo pertencia ao Império Prussiano.
Apaixonado de história e filosofia, empreendeu os estudos na Universidade da Breslávia e de Berlim, mas, devido à morte dos pais e depois à própria doença (tuberculose), interrompeu-os e passou a dedicar-se ao trabalho social entre a população rural.
Para isto contou com o auxílio de algumas jovens, e daí surgiu a fundação das Servas da Imaculada, cuja aprovação ocorreu em 1858.
Depois da morte do fundador, esta Congregação dividiu-se em vários ramos, por razões políticas das regiões onde as Irmãs trabalhavam, mas permanecendo fiel ao carisma de espiritualidade e ao ideal de serviço ao próximo.




Homilia (trecho) do Santo Padre São João Paulo II por ocasião da beatificação de Edmundo Bojanowski

O apostolado da misericórdia colmou a vida também do Beato Edmundo Bojanowski. Este proprietário de terras de Wielkopolska, dotado por Deus de numerosos talentos e de uma particular profundidade de vida espiritual, não obstante tivesse uma saúde frágil, realizou e inspirou com perseverança, prudência e generosidade de coração uma vasta actividade em benefício da população rural.
Orientado por um discernimento repleto de sensibilidade às necessidades, deu início a numerosas obras educativas, caritativas, culturais e religiosas, de apoio material e moral à família rural.
Permanecendo leigo, fundou a Congregação das Servas da Bem-Aventurada Virgem Imaculada, muito conhecida na Polônia. A guiá-lo em cada uma das suas iniciativas era o desejo de que todos se tornassem partícipes da Redenção. Inscreveu-se na memória humana como «um homem cordialmente bom» que, por amor a Deus e aos homens, sabia unir com eficácia os vários ambientes à volta do bem.
Na sua rica atividade, precedeu de muito aquilo que o Concílio Vaticano II disse acerca do tema do apostolado dos leigos. Deu um excepcional exemplo de trabalho generoso e sapiente em prol do homem, da Pátria e da Igreja. A obra do Beato Edmundo Bojanowski foi continuada pelas Irmãs Servas, a quem saúdo de todo o coração e agradeço o serviço silencioso e repleto de espírito de sacrifício a favor do homem e da Igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário