Páginas

Encontre o (a) Santo (a), Beato (a), Venerável ou Servo (a) de Deus

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Beato Modestino de Jesus e Maria (Domingos) Mazzarella, Presbítero Franciscano.





Em Nápoles, cidade da Campanha, o Beato Modestino de Jesus e de Maria (Domingo) Mazzarella, presbítero da Ordem dos Frades Menores que, aproximando-se sempre de toda classe de pobres e aflitos, ao assistir aos moribundos em tempo de cólera, morreu contagiado pela mesma enfermidade.

Domingos Mazzarella nasceu em Frattamaggiore, província de Nápoles, na diocese de Aversa, no seio de uma família de humildes artesãos. Aos 16 anos foi acolhido gratuitamente no seminário de Aversa. Atraído logo pela austera vida dos franciscanos do vizinho convento de Grumo Nevano, em 1822 vestiu o hábito de São Francisco no convento de Piedimonte Matese (Caserta) e fez o ano do noviciado no convento de Santa Lucia del Monte, Nápoles. Em 1824 emitiu a profissão religiosa e, depois de um regular curso de estudos filosóficos e teológicos feitos nos conventos de Grumo Nevano, Portici e Santa Lucia del Monte, foi ordenado sacerdote em 1827, na catedral de Aversa.
Estátua do Beato Modestino existente
na Basílica de Santa Clara, em Nápoles
Empenhado rapidamente no ministério da pregação e na celebração do sacramento da reconciliação, Frei Modestino de Jesus e Maria exerceu também, com dedicação exemplar, o ofício de guardião (superior) nos conventos de Mirabella Eclano (Avellino) e de Pignataro Maggiore (Caserta). Em 1839 foi transferido ao convento de Santa Maria de la Sanitá, Nápoles, situado em um dos bairros mais populosos da cidade, onde permaneceu até o dia de sua morte, exercendo um proveitoso e admirável ministério sacerdotal, sobre tudo, em favor dos mais pobre e enfermos. Destinguiu-se particularmente por seu zelo na defesa da vida nascente e na difusão da devoção à Santíssima Virgem sob a invocação de “Mãe do Bom Conselho”, que levava no coração desde os anos de sua juventude.

Em 1854, afetado pelo cólera que contraíra enquanto assistia às vítimas dessa epidemia, depois de haver pedido perdão aos irmãos e invocado com fervor a Mãe do Senhor, morreu, com grande pesar de seus numerosos beneficiados e de toda Nápoles.

O alcaide da cidade, o príncipe de San Agaito, ao saber a notícia da morte de Frei Modestino, exclamou comovido: “Perdemos o consolo de Nápoles”. Foi beatificado por São João Paulo II em janeiro de 1995. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário