Páginas

Encontre o (a) Santo (a), Beato (a), Venerável ou Servo (a) de Deus

sexta-feira, 22 de maio de 2015

SANTA QUITÉRIA, Virgem e Mártir (comemorada hoje, dia 22 de maio).



A história nos ensina que Santa Quitéria foi a oitava das nove filhas do governador Lúcio Caio Atílio Severo e de Cálcia Lúcia Severo, famílias ilustres, porém idólatras. Nasceu no século V da era Cristã, na cidade de Braga, Portugal.
Cálcia Lúcia Severo, depois de ser estéril por muitos anos, concebeu e, por milagre da Divina Providência, deu a luz a nove meninas, que nasceram tão perfeitas como esposas que haviam de ser do Cordeiro Imaculado. Nesta época seu marido Lúcio Caio estava ausente, viajando pela península.
Cálcia dominada pela superstição e por se ver mãe de nove meninas, dadas à luz num só parto, decide afogar as nove meninas! Comunicando seu projeto a única pessoa que a havia assistido no parto, sua criada, Cita, e, depois de a obrigar a guardar o mais rigoroso segredo, ordena-lhe que primeiro divulgue a noticia de que ela tivera um parto infeliz e que as crianças vieram a morrer.
À noite, depois de a família ter se recolhido, Cálcia ordenou que Cita saísse e fosse mergulhar as nove meninas num dos poços do rio Este – subúrbio de Braga.
Cita era cristã, mas mantinha sua fé escondida por causa das perseguições. Saiu e foi direto à casa do Arcebispo de Braga, Santo Ovídio, o qual administrando o Sacramento do Batismo lhes pôs os seguintes nomes: BASÍLIA, EUFEMIA, GENEBRA, GERMANA, LIBERATA, MARCIANA, MARINHA, QUITÉRIA E VITÓRIA. Depois procurou famílias cristãs, nos arredores de Braga, para criarem e educarem as meninas.
Por essa época, levantou-se uma forte perseguição, pelos romanos, contra os cristãos. As nove irmãs acabaram por ser levadas à presença do Cônsul, que era o seu pai Lúcio Caio. Ai chegadas, revelaram ao espantado pai toda a verdade. A mãe confessou, o pai perdoou e recebeu-as nos seus domínios.
A partir daí, os pais tentaram por todos os meios, afastá-las da religião cristã. Sem sucesso, no entanto, pois as nove acabaram por fugir do palácio real. Apenas uma foi encontrada: Quitéria, e, de novo levada à presença de seu pai, que a partir daí se tornou mais tolerante a respeito das praticas religiosas de sua filha.
Nova fuga ocorreu quando Lúcio Caio quis obrigá-la a se casar com um jovem nobre por nome Germano. Fugiu para o Vale de Aufrázia, que desde sempre acompanhou a história do martírio de Sant Quitéria.
Na história da Igreja sempre houve homens e mulheres capazes de perder sua vida por uma causa justa e pelo Evangelho. A jovem Quitéria consagrou-se inteiramente a Deus e sua morte foi a coroação de sua fidelidade à Fé Cristã.
Não foi muito diferente, segundo a tradição, o destino das suas irmãs, também elas consideradas santas. Com efeito todas elas acabariam, igualmente, por morrer martirizadas. Um ano depois de Quitéria seria a vez de Genebra ser morta em Tuy, em Espanha. Não muito longe daí, em Orense, também Marinha seria degolada, aos 18 anos. A mesma idade com que foi morta, em Córdova, Vitória. Relativamente a Liberata e Germana desconhece-se a data e locais onde terão padecido o seu martírio. Já de Eufémia conta a lenda que, também ela, foi degolada na Serra do Gerês onde é, de resto, a padroeira da capela das termas aí existente. Basília terá sido martirizada perto do Porto, em Águas Santas. Quanto a Marciana, parece ter sido a que mais tempo sobreviveu, tendo sido morta aos 35 anos de idade em Toledo.
Quitéria foi martirizada no dia 22 de Maio do ano de 135. Estava então com apenas 15 anos de idade. Conta-se que os soldados que a prenderam ficaram cegos. Diz ainda a tradição que após ter a cabeça decepada, Quitéria tomou-a em suas mãos e caminhou até a cidade vizinha onde caiu e foi sepultada. Santa Quitéria é invocada contra angústia, depressão, mordida de cachorro, e raiva do gado. Sua imagem possui na palma que é símbolo do martírio. Suas vestes lembram a bandeira de Portugal, sua pátria, cujas cores são vermelho e verde.
No século VII o povo começou a lhe atribuir milagres e venerá-la com mártir, sendo seu nome bastante difundido, sobretudo na França, Espanha e Portugal. Chegou no Brasil trazida pelos colonizadores portugueses.
No Estado do Ceará existe um município que leva o nome da Santa e que, obviamente, a tem por sua padroeira. Fica a aproximadamente 220 Km da capital cearense, Fortaleza.
Santa Quitéria, rogai por nós! 



4 comentários:

Claudia Romeiro disse...

Olá! Bom dia!
Gostaria muito de ter uma imagem de Santa Quitéria e não acho em minha cidade (Maceió), será que vc pode me ajudar?!
Grata,
Claudia Romeiro

Giovani Carvalho Mendes disse...

Infelizmente, Claudia Romeiro, não sei como ajudá-la. Também nunca vi uma imagem de Santa Quitéria para ser vendida aqui em Fortaleza. Aqui em Fortaleza temos a Paulus, Paulinas e Livraria Imaculada que vendem imagens de santos, porém, em nenhuma delas eu vi Santa Quitéria para ser vendida. Um forte abraço. Fique com Deus.

teia disse...

em aparecida do norte tem aimagem dela

Russo. Silvia Russo disse...

Boa tarde Giovani, a Paz de Jesus!
Só hoje 22/05/2017 Festa de Sta. Quiteria é que conheci seu site.
Sou paroquiana da Paroquia Sta. Quiteria em Curitiba/PR.
Caso vc ainda não tenha adquirido a imagem de Sta. Quiteria, vc poderá pedir para as Paulinas ou para Paulus que tragam de Curitiba a imagem para vc. Para eles é mais facil porque estáo sempre enviando produtos para suas lojas em todo o Brasil.
Abraço fraterno
Sta. Quiteria Rogais por Nós!

Postar um comentário