Páginas

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

São Francisco Antônio Fasani, Presbítero Franciscano Conventual.



São Francisco Antônio Fasani nasceu em Lucera (Itália), a 06 de agosto de 1681, e lá morreu a 29 de novembro de 1742. Foi beatificado no dia 15 de abril de 1951 e canonizado a 13 de abril de 1986 pelo Papa São João Paulo II.

Fez os estudos no convento dos Frades Menores Conventuais. Sentindo o chamamento divino, ingressou no noviciado da mesma Ordem.

Fez a profissão em 1696 e a 19 de setembro de 1705 recebeu a Ordenação Sacerdotal. Doutorou-se em Teologia e tornou-se exímio pregador e diretor de almas. Exerceu os cargos de Superior do convento de Lucera e de Ministro Provincial.

“Ele fez do amor, que nos foi ensinado por Cristo, o parâmetro fundamental da sua existência. O critério basilar do seu pensamento e da sua ação. O vértice supremo das suas aspirações”, afirmou São João Paulo II a respeito de São Francisco Antônio Fasani.

O santo se nos apresenta de modo especial como modelo perfeito de Sacerdote e Pastor de almas.

Por mais de 35 anos, no início do século XVIII, São Francisco Fasani dedicou-se, em Lucera, e também nos territórios ao redor, às mais diversificadas formas de ministério e do apostolado sacerdotal.

Verdadeiro amigo do seu povo, ele foi para todos irmão e pai, eminente mestre de vida, por todos procurado como conselheiro iluminado e prudente, guia sábio e seguro nos caminhos do Espírito, defensor dos humildes e dos pobres.

 Disto é testemunho o reverente e afetuoso título com que o saudaram os seus contemporâneos e que ainda hoje é familiar ao povo de Lucera: ele, outrora como hoje, é sempre para eles o “Pai Mestre”.

Como Religioso, foi um verdadeiro “ministro” no sentido franciscano, ou seja, o servo de todos os frades: caridoso e compreensivo, mas, santamente exigente quanto à observância da Regra, e de modo particular em relação à prática da pobreza, dando ele mesmo incensurável exemplo de regular observância e de austeridade de vida.

Embora sua escolaridade fosse notável, era mais conhecido pelos seus sermões na cidade e no campo. Falava de um jeito que as pessoas podiam entender e dirigiu seus esforços para catequizar os pobres.  Produziu vários volumes de sermões, alguns em Latim.

Francisco Antonio era devotado aos pobres , aos que sofriam e aos prisioneiros. Várias vezes ele acompanhava aqueles condenados à morte até o patíbulo.

Francisco Antonio promoveu a devoção à Imaculada Conceição de Maria à qual tinha grande devoção e especial amor muito antes deste dogma  ter sido definido.

Ele trouxe de Nápoles uma estátua da Imaculada Conceição que colocou na igreja de São Francisco de Assis e escreveu hinos a Ela para serem cantados pelo povo de sua terra. Essa estátua é objeto de veneração em Lucera.

Estabeleceu na paróquia a Novena a Nossa Senhora da Imaculada Conceição. No dia 29 de novembro, no primeiro dia  desta Novena à Imaculada, Francisco Antonio faleceu.

Com sua canonização, foi proclamado como “padroeiro dos encarcerados”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário