Páginas

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Servo de Deus Guy de Fontgalland, Leigo



GUY DE FONTGALLAND, o pequeno lírio puro.



Um raro fenômeno de popularidade seguiu-se à morte de Guy. De toda a França vieram recolher-se junto à sua sepultura. Pressionou-se a mãe a escrever uma biografia do filho que rapidamente se vendeu em dezenas de milhares de exemplares, traduzido em muitos idiomas. Apenas nove anos após a sua morte, registaram-se imensas graças concedidas: 244 conversões; 742 curas milagrosas que lhe são atribuídas; 698 vocações de consagração conhecidas e cerca de 85 mil graças relatadas; foram impressas pagelas em 48 línguas diferentes e o seu nome tornou-se muito usado na América Latina e em parte da Ásia.  O Papa Pio XI, de veneranda memória, recebeu 1.312 mil assinaturas a pedindo a beatificação do jovem rapaz. O mesmo tinham pedido, em 1931, os bispos do Brasil quando da inauguração da estátua do Cristo Redentor.


Mas quem é este menino, falecido com apenas 11 anos?

Nasceu em Paris em 1913. Reto, franco e leal. Nunca escondia os seus erros, mesmo perante a ameaça de castigos. Antes de morrer poderá afirmar sem medo: “Nunca menti!” Com cinco anos, deseja ardentemente receber o Corpo de Cristo. Quando dois anos depois pode realizar o seu sonho, preparou-se previamente realizando 118 sacrifícios em um mês, que ofereceu ao seu “Bom Jesus”. Incitava os seus companheiros a pedirem aos pais a antecipação da Primeira Comunhão.
“Ó meu querido pequeno Jesus, amo-Vos! Amo-Vos mais que tudo! E para prová-lo quero deixar tudo… Serei vosso sacerdote!” Jesus ter-lhe-ia respondido: “Eu também te amo, meu pequeno lírio puro; contudo, não serás meu sacerdote, mas meu anjo… Tomar-te-ei em breve para o céu…” Isso encheu Guy de felicidade, mas guardou o seu segredo para não entristecer os pais (só o revelou três anos depois, pouco antes da sua morte). A comunhão passa a ser um encontro especial. “Como fazes tu o momento de ação de graças?” perguntam-lhe um dia. “Jesus fala-me; eu O escuto e O saboreio!”
Todas as noites adormece a rezar o santo terço. Dizia de “a Virgem Maria é melhor que todas as mães juntas”.
Numa ida a Lourdes, numa peregrinação que vive com muito recolhimento e intensidade, ouve a voz de Maria dizer-lhe “Meu querido pequeno Guy, virei buscar-te em breve, virei buscar-te num sábado, entre os braços da tua mãe, para te levar direto ao Céu”.





Curiosamente, na noite do 08 de Dezembro de 1924 (dia da Imaculada Conceição), Guy é atingido de um misterioso mal. É nessa altura que revela todos os seus segredos. Durante um mês e meio luta-se contra o mal, mas Guy encanta todos com a sua piedade e coragem. A 24 de Janeiro de 1925, nos braços da sua mãe, abre os olhos e, sorridente, fixa um ponto acima dele dizendo: “Jesus! Amo-te…” Depois, docemente diz: “Mãe…” Assim se foi. Tinha apenas 11 anos e era um sábado.



Exumação dos restos mortais do pequeno "anjo puro". Não pode ser seminarista e nem sacerdote,
como desejava, mas, alguns anos após sua morte, seus espólios form exumados e
sepultados na capela do Seminário de Valence, França.

O corpo de Guy foi encontrado incorrupto, apresentando bom estado de conservação. Os olhos, que geralmente corrompem-se rapidamente, mantinham-se quase intactos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário