Páginas

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

SÃO CAETANO ERRICO, Presbítero e Fundador (Congregação dos Missionários dos Sagrados Corações de Jesus e Maria)



A cidade de Secondigliano, grande e populosa, do norte de Nápoles, Itália, é mais conhecida como uma região de mafiosos do que de santos.

Os problemas dos seus habitantes são inúmeros, entre os quais estão as facções da máfia, a corrupção social e política que, somados, desestruturam o sistema de serviços e a consciência, propiciando a formação de gangues de todos os tipos de tráficos. Mas ela também tem boas obras. Como a de padre Caetano Errico, que fundou, em 1833, a Congregação dos “Missionários dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria”.

A estátua de padre Caetano é bem visível de qualquer ângulo da cidade. Com a mão direita, ele abençoa; com a esquerda, empunha o crucifixo. A sua figura é imponente, não apenas pela beleza plástica da escultura. Ele era, realmente, um homem grande, alto e bem forte, um gigante na santidade e na figura humana.

Em 1791, essa cidade era pequena, uma planície com muito ar puro e úmido no final da tarde, chamada de Casale Régio da Cidade de Nápoles. Foi nesse ano que Caetano Errico nasceu, no dia 19 de outubro, o segundo dos nove filhos de Pasqual, modesto fabricante de macarrão, e de Maria. Quando mostrou vocação para a vida religiosa, logo obteve apoio da família. Aos dezesseis anos, ingressou no seminário e, em 1815, recebeu a ordenação sacerdotal.

Desde então, seu apostolado foi todo feito na igreja paroquial de São Cosme e São Damião, da sua cidade natal.

Em 1818, durante a pregação, teve inspiração divina para fundar uma congregação religiosa. Iniciou, imediatamente, pela construção de uma igreja dedicada a Nossa Senhora das Dores. Entre inúmeras dificuldades, a igreja foi erguida e abençoada doze anos depois, em 1830. Mas teve de esperar outros cinco anos para adquirir a imagem de madeira de Nossa Senhora das Dores e colocá-la no altar, onde permanece até hoje.

Além do trabalho pastoral da igreja, agora Caetano se ocupava com a construção da Casa para abrigar a nova congregação de padres. Um dia, rezando na igreja dos padres redentoristas, o próprio santo Afonso de Ligório apareceu-lhe dizendo ser vontade de Deus que fundasse uma nova congregação. Decidiu que seria dedicada em honra dos Sagrados Corações de Jesus e Maria.  E nela empenhou toda a sua vida, que durou sessenta e nove anos de idade. Morreu em 29 de outubro de 1860.

Aparição de Santo Afonso de Ligório a São Caetano Errico
avisando-lhe ser da vontade de Deus que fundasse uma
nova Congregação religiosa. 


Padre Caetano Errico foi homem de oração, de penitência, dedicava muito tempo ao atendimento das confissões e auxiliava materialmente, com suas obras, os marginalizados e pobres de toda a cidade e redondeza. Também foi um grande taumaturgo. Em seu processo de beatificação existem centenas e centenas de páginas com relatos de curas milagrosas, de previsões de fatos futuros que realmente se realizaram, de multiplicação de trigo, batata e outros provimentos que, além da multiplicação tornaram-se muito de grande tamanho e saborosos.

O culto à sua santidade e muitas outras graças atribuídas à sua intercessão começaram quando ele ainda estava no seu leito de morte. Tanto que no interior da casa-mãe da Congregação foi preciso instalar um museu para abrigar as doações dos elementos testemunhais dos devotos, que lembram as graças alcançadas. E é curioso como o povo não permite que a imagem do fundador seja retirada do altar, onde foi colocada, para a sua simples apresentação, quando chegou. Era para ficar no museu, mas todos a querem ver ali, ao lado de Nossa Senhora das Dores.



O Papa São João Paulo II proclamou bem-aventurado Caetano Errico em 2002, e designou o dia de sua morte para a homenagem litúrgica. Foi canonizado na Praça de São Pedro pelo Papa Bento XVI no dia 12 de outubro de 2008. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário