Páginas

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

SANTA EMÍLIA DE VIALAR, RELIGIOSA E FUNDADORA


Emília de Vialar nasceu em 1797, no airoso burgo de Gaillac, no sul da França. Era filha de Tiago de Vialar e de Antonieta de Portal, duas das mais importantes famílias daquela região.

 A primeira educadora de Emília foi sua mãe que, graças a uma fé profunda, inculcou a sua filha os primeiros elementos da fé cristã. Emília tinha apenas 13 anos quando sua mãe morreu: esta perca foi causa de grande sofrimento para ela, mas, apesar disso, ela adaptou-se à vida de pensionária na “Abbaye au Bois”, em Paris.

Dois anos depois, ela voltou para a sua cidade natal, dotada de uma boa educação e a sociedade civil de Gaillac acolheu muito cordialmente esta jovem tão graciosa e simpática.

Mas o chamamento de Deus se fez sentir... Amadureceu lentamente ao través de mil dificuldades... Emília ressente ao mesmo tempo um grande interesse pelos pobres, pelos doentes e pelas crianças abandonadas da sua cidade, primícias da sua obra futura.
Em 1832, no dia de Natal, Emília deixa a casa paterna onde, durante vinte anos ela tinha suportado um pai severo a quem ela declinara todas as ofertas de casamento, e Toinon, a criada autoritária que sempre procurava suplantar e ocupar o lugar desta jovem tão delicada nas actividades quotidianas.


Graças à herança deixada por seu avô materno, ela comprou uma casa e ali se instalou na companhia de três das suas melhores amigas. A partir deste momento, elas lançaram-se na luta para o alívio das misérias do próximo. Emília fundou a “Congregação das Irmãs São José da Aparição” para honrar São José no mistério da Encarnação, quando o Anjo do Senhor lhe apareceu e lhe disse: “José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo” (Mt. 1,20).

Nenhum comentário:

Postar um comentário