Páginas

sábado, 24 de maio de 2014

Santos Cristóvão Magalhães Jara, presbítero e 24 Companheiros Mártires do México (1926-1927)


São Cristóvão Magalhães, presbítero, e companheiros, mártires, em diferentes regiões do México, perseguidos por ódio à fé cristã e da Igreja Católica, por professar Cristo Rei, obtiveram a coroa do martírio.

Em 1917, no México, foi promulgada uma nova Constituição baseada em princípios anticlericais, assinada pelo presidente Venustiano Carranza. Era o início de uma era de perseguição religiosa violenta à Igreja naquele país. Os bispos mexicanos expressaram sua oposição à nova lei, causando uma forte reação do governo.
A partir de 1926, sendo presidente Plutarco Elias Calles, a perseguição tornou-se ainda mais violenta, com expulsão de padres estrangeiros, o fechamento de escolas católicas e de algumas instituições de caridade mantidas pela Igreja, bem como com a proibição de se realizarem missas, batizados, confissões ou quaisquer outras manifestações religiosas públicas nas igrejas. 
Os políticos, militares, profissionais liberais e jornalistas católicos formaram uma organização  chamada “Liga Mexicana Para a Defesa da Liberdade Religiosa” que proclamou: “Nós lamentamos a guerra, mas, insultou a nossa dignidade ser a nossa fé perseguida o que nos obriga a correr para nos defendermos no mesmo campo em que se espalha o ataque”.
E o povo católico mexicano, não podendo mais suportar as dificuldades que o boicote do governo causava à liberdade religiosa, sem intervenção direta do clero, por meio de armas, resolveu lutar contra as arbitrariedades desse mesmo governo. Assim, começou a guerra civil, mais conhecida no México como “Movimento Cristero” ou “Cristiada”.
Esse movimento não foi promovido pela hierarquia da Igreja, mas, pelo povo leigo, que buscou o apoio de seus pastores. O clero procurou primordialmente apoiar a resistência através de meios pacíficos. Alguns padres eram, inclusive, hostis ao movimento; outros, abandonaram suas paróquias; alguns, no entanto, foram ativamente a favor deste e até participaram da luta.
Finalmente, deve-se dizer, porém, que a maioria dos religiosos preferiu empregar seus esforços no cuidado das almas do rebanho a eles confiado, apesar de estar bem conscientes de estarem arriscando suas vidas. Este é o caso dos santos mártires que foram canonizados em 21 de maio de 2000, no Ano Jubilar, por São João Paulo II, na Praça de São Pedro. Foram mortos, na maioria das vezes, de forma sumária, sem julgamento algum. Eram capturados dentro ou ao saírem de suas igrejas ou em suas residências ou locais de trabalho, arrastados para a rua e, ali mesmo, eram fuzilados ou enforcados sumariamente, sem defesa ou recurso. Em pleno século XX, o tempo da barbárie romana parecia ter se instalado no México, tradicionalmente tão católico e piedoso.
Além desses 25 mártires já proclamados santos pela Santa Igreja, outras 14 vítimas da mesma perseguição foram beatificadas entre 1988 e 2005, durante três cerimônias. Finalmente, outros 07 Servos de Deus ainda estão em processo para o reconhecimento de seu martírio.
Os 25 Santos Mártires Mexicanos (São Cristóvão Magalhães e 24 Companheiros), por vontade do Santo Padre São João Paulo II, foram imediatamente incluídos no Calendário Romano no dia 21 de maio como “memória facultativa”. O Martyrologium Romanum comemora também os diferentes Santos e Beatos separadamente, cada um no dia do aniversário do martírio. Para mais informações, coloco abaixo os nomes dos santos mártires do México (conservei os nomes originais, em língua espanhola) com os dias individuais de memória litúrgica dedicados a eles:





1.         Cristobal Magallanes Jara, presbítero, 25 de maio.
2.         Roman Adame Rosales, presbítero, 21 de abril.
3.         Rodrigo Aguilar Aleman, presbítero, 28 de outubro.
4.         Julio Alvarez Mendoza, presbítero, 30 de março.
5.         Luis Batis Sainz, presbítero, 15 de agosto
6.         Agustin Caloca Cortes, presbítero, 25 de maio.
7.         Mateo Correa Magallanes, presbítero, 06 de fevereiro.
8.         Atilano Cruz Alvarado, presbítero, 01 de julho.
9.         Miguel De La Mora De La Mora, presbítero, 07 de agosto.
10.               Pedro Esqueda Ramirez, presbítero, 22 de novembro.
11.               Margarito Flores Garcia, presbítero, 12 de novembro
12.               Jose Isabel Flores Varela, presbítero, 21 de junho.
13.               David Galvan Bermudez, presbítero, 30 de janeiro.
14.               Salvador Lara Puente, Leigo, 15 de agosto.
15.               Pedro de Jesus Maldonado Lucero, presbítero, 11 de fevereiro.
16.               Jesus Mendez Montoya, presbítero, 5 de fevereiro.
17.               Manuel Morales, leigo, 15 de agosto.
18.               Justino Orona Madrigal, presbítero, 01 de julho.
19.               Sabas Reyes Salazar, presbítero, 13 de abril.
20.               Jose Maria Robles Hurtado, presbítero, 26 de junho.
21.               David Roldan Lara, leigo, 15 de agosto.
22.               Toribio Romo Gonzalez, presbítero, 25 de fevereiro.
23.               Jenaro Sanchez Delgadillo, presbítero, 17 de janeiro.
24.               David Uribe Velasco, presbítero, 12 de abril.
25.               Tranquilino Ubiarco Robles, presbítero, 05 de outubro. 



Santos Mártires do México, rogai por nós! Rogai por todo povo católico, neste século tão difícil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário