Páginas

sábado, 12 de abril de 2014

Beato George Häfner, OCDS, Presbítero e Mártir


        Nós da OCDS (Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares) temos mais um dos nossos que foi reconhecido como bem-aventurado pela Santa Igreja: o Beato George Häfner. Hoje trago ao conhecimento dos leitores do blog um resumo de sua vida, marcada pela fidelidade a Deus e à igreja, fidelidade essa que levou-o a testemunhá-la pela morte gloriosa do martírio. 


Würzburg-Alemanha (16/05/2011) – Pela primeira vez em 1300 anos de história de Würzburg, teve lugar uma beatificação; e era a do sacerdote mártir de Dachau, George Häfner (pronuncia-se “réfner”), ocds.
Nasceu em Würzburg em 1900. Desde a época de acólito, manteve uma estreita relação com as monjas carmelitas descalças de Würzburg, onde, em 1920, ingressou na Venerável Ordem Terceira (assim era conhecida a Ordem Secular naquela época) com o nome religioso de “Aloísio do Santíssimo Sacramento”.
Após seus estudos filosóficos e teológicos, foi ordenado sacerdote no dia 13 de abril de 1924 e “cantou” sua primeira Missa no dia 21 de abril.

Depois de haver desempenhado seu labor pastoral em diversas paróquias, no dia 12 de novembro de 1934 foi nomeado pároco da paróquia de Oberschwarzach, coincidindo sua atividade pastoral como pároco com a chegada ao poder de Adolf Hitler.
Rapidamente entrou em “choque” com as ideias e interesses dos agentes de Hitler, já que não fazia nunca a típica saudação nazista e defendeu sempre a doutrina e os direitos da Igreja.
Foi preso no dia 31 de outubro de 1941 e levado ao campo de concentração de Dachau em 12 de dezembro de 1941. Ali, como fiel sacerdote, estava exposto a toda classe de tormentos e injustiças, mantendo em todo momento uma atitude heroica ante cada humilhação e mau trato.

Foto do Beato George Häfner no dia que
foi preso pela polícia nazista, a Gestapo. 
Suas cartas escritas em Dachau dão testemunho de sua profunda fé e de sua capacidade de perdoar a seus verdugos. Uma de suas últimas frases ditas no campo de concentração foi: “Não queiramos maldizer a ninguém e nem tomar vingança. Queremos ser bons para com todos”.  Finalmente, esgotado pela enfermidade e, sobretudo, pela fome, morreu em 20 de agosto de 1942.
No dia 15 de maio de 2011, o cardeal Ângelo Amato, delegado do Papa Bento XVI, beatificou a George Häfner, ocds, determinando o dia 20 de agosto como dia de sua memória.
Que no Céu, nosso querido beato George interceda por todos nós, carmelitas descalços seculares, seus coirmãos, para que sejamos fiéis à nossa vocação humana-cristã-carmelitana e para que nossa amada Ordem se espalhe e irradie a luz de Cristo e da Virgem Maria por todo o mundo.

Beato George Häfner, rogai por nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário