Páginas

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Dia de Todos os Santos (no Brasil, o domingo seguinte ao dia 01 de novembro)

  

   No dia 01 de novembro (no Brasil, o domingo seguinte ao dia 01 de novembro, exceto quando finados cai no domingo), a Igreja celebra o dia de Todos os Santos. 
    Muitos (a maioria) protestantes acusam a nós católicos de sermos "idólatras", pois rezamos aos santos. Esquecem eles que o próprio São Paulo (o Apóstolo Paulo como eles dizem) em suas cartas usou esse termo: "santo" diversas vezes (30 vezes, para ser exato) ao se referir aos demais irmãos na fé  e pedia que os cristãos orassem uns pelos outros e também por ele (conf. em Efésios 6, 18-19). Chama-se a isso de INTERCESSÃO. 
    Pois bem, se na terra, neste "vale de lágrimas", ainda cheios de limitações e imperfeições, os cristãos podem e devem orar uns pelos outros, por qual razão não podem continuar fazendo isso no Céu? Por acaso, lá, esquecerão de nós? Não! Muito pelo contrário! Na visão beatífica de Deus, mergulhados em Deus, fruindo continuamente de sua Infinita Sabedoria, os bem aventurados contemplam seus demais irmãos e irmãs que estão na terra através do mesmo OLHAR DE DEUS! Eles nos veem com os olhos de Deus! Nos amam no amor de Deus e desejam ardentemente a nossa eterna salvação! Como deixariam de suplicar a Deus em nosso favor? Seria um absurdo sem tamanho. Estar no Céu e não querer que os demais irmãos e irmãs que estão na terra também estejam com eles seria simplesmente um desatino completo! Ora, ora, se até os demônios e as almas condenadas, em sua maldade pérfida, desejam que o resto da humanidade também caia nas cavernas infernais, por que razão os santos e bem aventurados do Paraíso, que tanto nos amam, não quereriam que todos se salvem e vão para onde eles já estão? 
      Não é idolatria pedirmos a intercessão de um (a) santo (a) ou de uma alma bem aventurada. Idolatria é se nós os considerássemos nossos "deuses". NÓS, CRISTÃOS CATÓLICOS, ADORAMOS AO DEUS  UNO E TRINO: PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO. Cremos em um Único Senhor e Salvador: JESUS CRISTO. JESUS É O ÚNICO MEDIADOR ENTRE O PAI E A HUMANIDADE. Nós católicos cremos nisso. Porém, mergulhados no Deus Trindade, temos uma multidão de irmãos e irmãs que PEDEM, SUPLICAM, ROGAM e ORAM por nós: os santos e santas de Deus. 
    Entre eles, é claro, encontra-se a Santíssima VIRGEM MARIA, Mãe de Jesus. Nós cremos que ela é a mais santa de todos os santos pois foi a criatura que mais se assemelhou na terra ao Santíssimo Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. 
   Bem, já se falou bastante sobre os santos e sua intercessão no Céu, porém, quero comentar um pouco sobre: o que é ser "santo"? Primeiramente, convém dizer que a santidade é um mandamento para TODOS os cristãos. Cristão "não santo" é um "cristão com defeito" ou "faltando um pedaço". O próprio Senhor uma vez disse ao seus apóstolos e discípulos: "Sede perfeitos como o vosso Pai Celeste é perfeito" (Mateus 5, 48). Esse é o mandamento do Senhor: sede perfeitos! Já pensou? Parece até uma coisa "absurda", mas, não é. 
    Ser santo é ser um IMITADOR DE CRISTO, cada um a seu modo, é claro, em seu estado de vida, em sua profissão, em sua condição sócio-econômica, etc. Ser santo é VIVER UMA VIDA EVANGÉLICA, isto é, praticando - ou ao menos esforçando-se para isso - o que o Evangelho nos propõe. 
   Jesus veio ao mundo para ser o Emanuel, o Deus-Conosco. Viveu em tudo a nossa humanidade, exceto o pecado. Ele é nosso modelo máximo de Santo. Jesus foi o Santo por excelência. Por isso, porque nos ama e quer que sejamos felizes, também quer que sejamos como ele foi: santos e santas. 
   Ensinou-nos o "método" para isso: vivermos as bem aventuranças (conferir em Mateus 5, 1-12). Um caminho impossível? Não, com a ajuda de sua graça. Difícil? Sim, pois, para isso temos que "renunciar a nós mesmos, tomar a nossa cruz a cada dia e segui-lo". Isso não é fácil. Exige esforço, luta, decisão, coragem, determinação e perseverança - juntamente com a graça divina, indispensável para que a nossa natureza não nos domine. 
    A Igreja, ao "beatificar" (na beatificação, a Igreja declara que uma determinada pessoa está no Céu, na bem aventurança) ou "canonizar" (na canonização, a Igreja declara que uma determinada pessoa é digna de ser venerada e ter sua vida imitada por todos os cristãos e cristãs do mundo inteiro) a Igreja nos aponta e propõe modelos de santidade. Já foi falado que a santidade é um dever de todos, porém, há sempre os que se "destacaram" na fé e no modo de viver a vida cristã. Existem irmãos e irmãs nossos que se "sobressaem" aos outros no modo de viver o Evangelho e tornam-se - usando-se um termo ao mesmo tempo moderno e "técnico" - "famosos". Na maioria das vezes é o próprio povo quem aponta para a Igreja: "olha, nós acreditamos que o (a) fulano (a) que morreu foi uma pessoa muito santa". Assim, a Igreja passa a estudar profundamente a vida, escritos e obras dessa pessoa para ver se realmente, do ponto de vista teológico, pastoral e catequético ela foi ou não foi um MODELO a ser imitado (a). Por isso, não é a Igreja quem "fabrica" santos. É o próprio povo quem propõe à Igreja que averigue se uma determinada pessoa foi ou não foi um modelo de santidade. 
     Bem, voltando ao assunto da Solenidade de Todos os Santos, neste dia a Igreja celebra todos aqueles homens e mulheres de fé que estão agora no Paraíso celeste, gozando da visão beatífica da divindade, isto é, vendo a Deus face a face. Isso não é "pequena coisa". A glória de Deus é infinita e gozar da beatitude divina é algo estupendo, maravilhoso, uma alegria incomensurável, que nossa mente humana não pode alcançar. 
    Muitos desses santos e santas já foram reconhecidos como tais pela Igreja. Como já foi comentado anteriormente, foram "canonizados" (declarados santos ou santas oficialmente) ou "beatificados" (declarados que estão na glória do Céu oficialmente). Porém, a grande maioria dos eleitos que está no Céu é composta por almas que morreram na amizade de Deus e que, no entanto, não foram "famosos"; são desconhecidos pela maioria. Entre eles podem estar parentes nossos: antepassados antigos, trisavós, bisavós, avós, pais, mães, tios, tias, etc, que já gozam da visão de Deus e eternamente o gozarão, porém, que nem foram e nem serão canonizados, pois, suas vidas não são "conhecidas" e nem postas pelo povo como "modelares". Mas, estão no Céu e são santos e santas. Bem, para esses e essas a Solenidade de Todos os Santos existe: para também homenageá-los. 
   Comemoremos essa festa com grande alegria. Eles (os santos e santas), lá no Céu, nos amam e intercedem continuamente por nós. Desejam ardentemente que gozemos das mesmas alegrias que gozam e participemos das mesmas festas infindas que participam. 
Peçamos que rezem, rezem muito por nós, pobres pecadores e viadores, que a todo momento estamos expostos a tantos perigos, principalmente para as nossas almas. Que possamos um dia vencer, como eles venceram. Que possamos ser fiéis a Deus como eles foram. Amém. Amém. Amém! 
   

   
   
(Autor do texto: Giovani Carvalho Mendes, ocds)

Nenhum comentário:

Postar um comentário